quarta-feira, 6 de julho de 2016

Kafka, Saramago, Trevisan - Formação do eu escritor

Casa da Palavra - Santo André - SP - Foto de Ivan Leite

Folder do Curso

Sobre o Livro: "Metamorfose" de Franz Kafka

Dalton Trevisan -  Escritor - foto de 1990 - Foto de Joel Rocha

Capa do Livro:
"Cantos do cotidiano" do escritor  Flávio Mello
  
Eu e Flávio Mello (Professor e Escritor)
no laçamento do  Livro:  "Cantos do Cotidiano"


quinta-feira, 21 de abril de 2016

terça-feira, 29 de julho de 2014

O Grande Mentecapto - Fernando Sabino

O Romance Picaresco ou novela picaresca tem sua origem no século XVI na Espanha com a obra: Vida del Lazarillo de Tormes y de sus fortunas y adversidades, datado de 1554. É um subgênero literário narrativo da ficção em prosa, geralmente satírico e descreve as aventuras de um herói malandro. Tem como suas principais características: a presença de um protagonista, o pícaro, que pertence a uma baixa extração social e vive por sua inteligência em uma sociedade corrupta.

Capa do livro - Imagem: Ivan Leite

Em O Grande Mentecapto, Fernando Sabino faz uso das características deste gênero para narrar a vida de Geraldo Viramundo, que perambula, sem eira nem beira, por todo estado de Minas Gerais.

domingo, 27 de julho de 2014

Poema: "UM CAMINHO"

UM CAMINHO

admiro os mapas
que trazem os caminhos
sem precisar percorrê-los.

segui-los é humano
sua-se; tonifica-se:
músculos e mente.

tônus feliz, pessoa feliz.

Ivan Leite - Santo André - 13 de julho de 2014 - 12h19min

Poema: "A FUNDO"

A FUNDO

Sustento como Atlas
imagens flutuantes
que não compreendo.

Captá-las e carregá-las
é o que eu posso.

Tempestades cerebrais
arrastam-nas
pela imaginação afora.

Que de súbito surgem
visíveis aos olhos
a fundo em sentidos.

Ivan Leite - Santo André - 07 de julho de 2014 - 20h06min

domingo, 9 de fevereiro de 2014

"Divórcio" - Ricardo Lísias

Ivan Leite

Ricardo Lísias publicou seu primeiro livro: “Cobertor de estrelas” em 1999, pela editora Rocco. É romancista, contista, palestrante e professor universitário. Já foi indicado e finalista de vários prêmios literários e ganhou em 2013 o prêmio APCA de literatura pelo romance “O céu dos suicidas”, editora Alfaguara, 2012.

O escritor possui uma narrativa forte e instigante, além de uma linguagem apurada e inteligível. Percebemos, estilisticamente, uma escrita construída com frases curtas, que faz com que a leitura transcorra rapidamente. Em seus textos, encontramos uma consciência ética muito forte, uma ironia sutil e cortante, temas e reflexões relevantes, tudo isso, combinados em situações originais que causam um grande prazer ao leitor. “É arte literária”, como ele mesmo diz em suas entrevistas.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Romance: "Pessoas que passam pelos sonhos" - Cadão Volpato

1a. página do romance autografada pelo autor - Foto: Ivan Leite

Acabei de ler o primeiro romance do Cadão Volpato: "Pessoas que passam pelos sonhos", quando ele autografou o livro para mim, eu ainda não tinha terminado. 
O romance trata da passagem do tempo e é ambientado na Argentina e Brasil no ano de 1969. O protagonista é um arquiteto distraído que possui um sexto sentido acentuado e passa a história toda tentando se comunicar com as pessoas. 

Achei bom, tem alguns lances poéticos, mesmo ele afirmando que escreve evitando ser. Para quem viveu esta época, vai ficar bastante saudoso em algumas partes, outras não: como o regime de repressão, que perseguiu toda uma geração de jovens.

Ivan Leite - 27 de novembro de 2013

Leia também: Reportagem de Cadão Volpato falando sobre criação literária na oficina Tantas Letras: http://ivanleite09.blogspot.com.br/2012/10/tanta-letras-2012-ii.html

domingo, 20 de outubro de 2013

"Meu Primeiro Beijo" - Pontuação - Uma Análise -

Meu Primeiro Beijo

Antonio Barreto

É difícil acreditar, mas meu primeiro beijo foi num ônibus, na volta da escola. E sabem com quem? Com o Cultura Inútil! Pode? Até que foi legal. Nem eu nem ele sabíamos exatamente o que era "o beijo". Só de filme. Estávamos virgens nesse assunto, e morrendo de medo. Mas aprendemos. E foi assim...

Não sei se numa aula de Biologia ou de Química, o Culta tinha me mandado um dos seus milhares de bilhetinhos:

"Você é a glicose do meu metabolismo.

Te amo muito!

Paracelso"

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Tempestade - Henriqueta Lisboa - Poema

                          TEMPESTADE

                                                 (Henriqueta Lisboa)

                - Menino, vem para dentro,
                olha a chuva lá na serra,
                olha como vem o vento!

                - Ah! Como a chuva é bonita
                e como o vento é valente!

                - Não sejas doido, menino,
                esse vento te carrega,
                essa chuva te derrete!

                - Eu não sou feito de açúcar
                para derreter na chuva.
                Eu tenho força nas pernas
                para lutar contra o vento!

                E enquanto o vento soprava
                e enquanto a chuva caía,
                que nem um pinto molhado,
                teimoso como ele só:
               
                - Gosto de chuva com vento,
                gosto  de vento com chuva!

Santo André, 08 de outubro de 2013 - Primavera - 08h26min

domingo, 15 de setembro de 2013

Carlitos

"Carlitos" - por Ivan Leite

Técnica: Pontilhado com caneta hidrográfica de ponta fina. (Escaneado.)
Data: 20.03.1983

Santo André - 15 de setembro de 2013 - Inverno - 14h46min

O Amanhecer - Taiguara

"... e que as crianças cantem livres sobre os muros/
e ensinem sonhos ao que não pode amar sem dor/
e que o passado abra os presentes pro futuro/
que não dormiu e preparou/
o amanhecer, o amanhecer..."

"Taiguara"

Santo André - 15 de setembro de 2013 - 14h20min

"Missa do Galo" - Conto - Machado de Assis - Situação de Aprendizagem

livro: “Missa do Galo e outros Contos” de Machado de Assis

Link: "Missa do Galo e outros Contos"

1 - ANTES DA LEITURA:

Apresentar o livro onde está inserido o Conto: “Missa do Galo” de Machado de Assis – Edição 2011 – Editora Unesp – Coleção ‘De mãos em mãos’.

Capa – 2 planos: Imagem X Informações Escritas.

Explorar imagem: “Arrufos” de 1887 – Belmiro de Almeida - 1887  - Marco das artes plásticas do Realismo.

Explorar Informações da Capa: Nome do autor; nome do livro; Nome da Coleção.

“Conferência confirma que Plutão deixa de ser planeta” – Notícia

MgMe – Atividade: “Conferência confirma que Plutão deixa de ser planeta” – Notícia

Aplicação da Atividade: “Conferência confirma que Plutão deixa de ser planeta”; gênero textual: Notícia.

A NOTÍCIA:

Conferência confirma que Plutão deixa de ser planeta

da Folha Online

A União Astronômica Internacional excluiu nesta quinta-feira Plutão como um planeta do Sistema Solar, após longas e intensas controvérsias sobre a resolução. A decisão foi votada hoje no plenário da 26ª Assembleia Geral da entidade, realizada em Praga. O Sistema Solar passa assim a ter oito planetas em vez de nove. 

Segundo a definição estabelecida pela União Astronômica Internacional, um planeta é aquele que tem massa suficiente para ficar isolado em sua órbita, o trajeto que percorre em volta do Sol. 

"Em sua formação e evolução o planeta "limpa" a região a sua volta", explica o astrônomo do Laboratório Nacional de Astrofísica Carlos Torres. "Em torno da órbita de Plutão há vários outros corpos, por isso ele não é mais um planeta", acrescenta. 

Especialistas afirmam que em poucos anos deverão ser catalogados vários planetas anões no Sistema Solar.

Folha de São Paulo, Disponível em:

"Avestruz" - Crônica - Mário Prata - Situação de Aprendizagem

Situação de Aprendizagem:


- Leitura da crônica: “Avestruz” de Mário Prata

*Numa roda de leitura.

[Antes da leitura]

* Oralmente

1 – Ativação de conhecimento de mundo:

1.1 – Professor traz para os alunos a imagem de um avestruz;

1.2 – Professor traz para os alunos informações sobre o avestruz: tamanho, peso, habitat...;

1.3 – Professor comenta sobre as características do gênero crônica;

“Pausa” – Moacyr Scliar - Conto - Situação de Aprendizagem

Situação de aprendizagem

- Leitura do Conto – “Pausa” – Moacyr Scliar

* Numa roda de leitura.


[Antes da leitura]

* Oralmente:


- Relembrar aos alunos algumas características do gênero: “Conto”;

- Trazer para o aluno informações sobre o autor, pequena biografia;

- Situar o texto por meio da leitura das informações da bibliografia;

- Discutir hipóteses sobre o título: - o que ele sugere? - Em que ocasiões a usamos?

sábado, 1 de junho de 2013

Primeiras Leituras

Ivan Leite

Minha mãe disse certa vez, que quando viu meu pai pela primeira vez, ele estava lendo um livro. Disse que ele gostava de ler livros e por isso os trouxe junto com alguns álbuns de figurinhas quando se casou. Eles foram as minhas primeiras referências de leitura.

Não tenho lembranças da infância em que meus pais estão lendo para mim ou para os meus irmãos, tenho imagens posteriores deles lendo para si, mas já éramos adolescentes.

Os livros da minha infância sempre me chamaram a atenção, primeiro, pelas suas capas e folhas, segundo, pelos seus títulos, e terceiro, pelas suas ilustrações.

domingo, 24 de março de 2013

"Lá & Cá: Os Livros Viajantes" - Exposição - Sesc - Santo André


EXPOSIÇÃO DE ILUSTRAÇÕES:
SESC - Santo André - De 06 de Fevereiro a 08 de abril de 2013


Escaneado do Folder da Exposição

Em um país de dimensões continentais como o Brasil, é rica a variedade regional de manifestações culturais que se desenvolveram a partir dos processos de colonização e suas decorrências, e que evoluem a partir das relações e intersecções sociais de seus atores.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Um Coração de Pedra

Fonte da imagem:
 http://www.blogovershock.com.br

O bom da literatura é que ela pega pontos, vivências da vida real e a transforma numa escultura de palavras, por isso é considerada uma das artes. É por meio da leitura desta verdade mentirosa, que é a literatura, é que fazemos nossas catarses pessoais. É o que acontece ao lermos o conto: Apenas mais uma de amor de Margarete Schiavette, presente na Antologia de contos: Corações entrelaçados: contos de amor”, organizado por Leandro Schulai (Andross, 2013).

Uma narradora em terceira pessoa tenta entender o porquê de seu amor não ser correspondido. José, seu objeto de amor, num primeiro momento, é um nome comum demais para um amor tão grande, ao ser transformado em personagem, ganha uma sobrevida ao ser cinzelado pela escritora.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Diário de Bordo: 3 anos

Há três anos entrava no ar o Blog Diário de Bordo. Na época, o primeiro "post" ficou como uma espécie de certidão de nascimento. Naquele texto, coloquei que minha  pretensão principal era postar reflexões sobre ensino-aprendizagem e o dia a dia do meu trabalho como professor de Língua portuguesa.

Nesse tempo, o Blog tomou um caminho diferente do que pretendia inicialmente, mas  não se desvirtuou, pois houve experiências e aprendizagens pessoais anterior ao Blog que, também, foram importantes de serem registradas: relatos, poemas, discursos, crônicas, coisas que construíram o que sou como pessoa e professor.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Arte por Domingos de Oliveira – Cineasta


 - Em entrevista para a Revista E - Sesc-SP

"Acho que a arte é isso, é uma atividade para fazer bem às pessoas."

"... acho que os problemas todos com a arte provém do fato de que as autoridades não entendem que ela tem um papel social sério."

"A arte fala sobre assuntos como a honra, o patriotismo, a cidadania, o amor - os sentimentos mais profundos do homem."

Arte: forma e ideia


"Em arte, é difícil saber onde terminam as formas e onde começam as ideias. A confluência entre forma e ideia constitui não só o mistério, mas também a explicação da arte. O autor tem de almejar os significados, mas suas ideias resultam antes da dinâmica das formas do que da abstração do pensamento. Nesse sentido, a ideia será invenção da forma."

(Ivan Teixeira - 'A invenção mítica da Bahia' - in: Revista Metáfora - Ano 1 - No. 11 - 2012 - Edtora Segmento.)

Santo André - 25 de janeiro de 2013 - 14h46min - Verão

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Pinacoteca de São Paulo

No dia 22 janeiro de 2013 fiz um passeio cultural por São Paulo, bairro da Luz, e fui à Pinacoteca de São Paulo. Gosto muito do acervo, da arquitetura e principalmente das esculturas. Foi uma tarde muito boa...


sábado, 1 de dezembro de 2012

As Caixas


O texto "As Caixas" é o resultado de um exercício de escrita proposto pela Oficina Literária Tantas Letras! 2012.


“As Caixas”
Divagações de Ivan Leite
1 - No meio do caminho tinha uma caixa. Tinha uma caixa no meio do caminho.
2 - Nunca me esquecerei de que desde que eu me entendo por gente, sempre fui fascinado por caixas. A mais antiga imagem que tenho disso é de uma foto da minha infância, onde estou segurando uma caixa-embalagem com meus brinquedos preferidos.
3 - O escritor Rubem Alves escreveu sobre duas caixas essenciais à existência do homem: a Caixa de Brinquedos e a Caixa de Ferramentas.
4 - Uma caixa de Tênis serve para guardar rascunhos incertos e tênis também.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Tantas Letras! 2012 - (III)

Reportagem de: Ivan Leite

2º. Encontro: Oficina – 1

Coordenadores: Reynaldo Damazio e Cristina Paiva


Data: 22.09.2012

Reynaldo Damazio:
(poeta, editor, crítico literário, autor de Horas perplexas).

Cristina Paiva:
(jornalista e crítica literária, colaboradora do Guia da Folha).


Oficina – 1:

Sala das Oficinas - Pinacoteca de São Bernardo do Campo

No último dia 22 de setembro de 2012, a oficina literária do Tantas Letras! recebeu a jornalista e Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, Cristina Paiva. Ela apresentou ao grupo uma leitura da sua dissertação de mestrado: “Oficinas de criação como rede em construção:aspectos comunicativos nas propostas de Edith Derdyk e Mario Bellatin”.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Tantas Letras! - 2012 (II)


Reportagem de: Ivan Leite
1º. Encontro: Palestra - 1
Palestrante: Cadão Volpato

Tarso de Melo - Cadão Volpato - Reynaldo Damazio

A Pinacoteca de São Bernardo do Campo – SP recebeu no último dia 15 de setembro de 2012 os convidados e participantes da 5ª. edição do Projeto Tantas Letras! 2012. Nesse dia o palestrante convidado, Cadão Volpato, relatou ao público presente suas experiências como escritor. A palestra teve como mediadores o escritor e editor Reynaldo Damazio e o poeta e professor Tarso de Melo.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Fahrenheit 451 - Filme

Assisti e gostei...




Ivan Leite

Lembro-me de certa vez ter assistido ao final do filme “Fahrenheit 451” na televisão. As roupas das personagens, as músicas, o clima futurista e a temática: bombeiros pondo fogo em livros me deixaram curioso por assisti-lo por inteiro.

Passado alguns anos, eis que o encontro no acervo da escola em que dou aulas. Minha alegria foi tanta que corri até a Coordenação e o emprestei para assisti-lo quando tivesse um tempo. Hoje eu o vi por inteiro.

 “Fahrenheit 451” foi um sucesso nos meados dos anos 60 e foi interessante perceber as diferenças enormes do modo de filmar da época com o nosso 3D atual.

sábado, 6 de outubro de 2012

Tantas Letras! - 2012 (I)



O Tantas Letras!, na sua 5a. edição, é um projeto dedicado à reflexão sobre literatura, bem como à produção e discussão de seus próprios trabalhos. Com o lema: Ler, Conhecer, Pensar, Escrever, o projeto desenvolve atividades dedicadas a oficinas  integradas de prosa, poesia e crítica literária e enriquecida por palestras com escritores destacados do cenário atual brasileiro. A edição 2012 terá como sede Pinacoteca de São Bernardo do Campo  e terá como coordenador o poeta, editor, crítico literário e autor de livros, Reynaldo Damazio. 

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Caixas: divagando sobre elas


Divagações de Ivan Leite

Desde que me entendo por gente, sou fascinado por caixas. A mais antiga imagem que tenho sobre isso é uma fotografia da minha infância, onde estou segurando uma caixa-embalagem de uma medicação chamada Novalgina ®, não sei se alguém se lembra... Enfim...


Nessa caixa guardava, de forma bem organizada, alguns brinquedos: fubecas; miniaturas de índio americano que vinham nos potes de Toddy®; charrete com cavalinhos; carrinhos; toquinhos de madeira e hominhos feitos de argila.

Quando cresci mais um pouco, lembro que fiz uma caixinha de madeira e pintei de azul. Consegui fazer isso observando durante toda minha infância meu pai serrando e pregando. Meu pai era um carpinteiro de mão cheia, caprichoso e profissional. Essa caixinha durante anos foi uma espécie de orgulho pessoal, pois foi feita por mim, pelas minhas mãos e imitando o capricho dele.

Quando vejo uma caixa, penso no vazio que ela contém e naquilo que ela pode conter. Aí me lembro de uma música do Gilberto Gil chamada “Metáfora”. Nessa canção há um verso assim: “... quando o poeta diz lata/ Pode estar querendo dizer o incontível”. Penso que a ideia do incontível cabe também às caixas, pois nelas cabem as saudades e as lembranças que seus conteúdos trazem.

Psicologicamente deve existir uma explicação para esse meu fascínio, mas não quero procurar bases psicológicas para isso, só sei que gosto e ponto final.

Na verdade acho que talvez exista uma explicação..., é porque necessito organizar as coisas. Para isso, preciso que todos esses guardados sejam mantidos nesses recipientes, para que num momento adequado possa classificá-los, observando sua importância e valor, para assim deixá-los lá definitivamente.
                                                                                                   
Ivan Leite – Santo André – 28.09.2012 – 08h06min - Primavera

domingo, 16 de setembro de 2012

Pinacoteca de São Bernardo do Campo - SP

Reportagem

Ivan Leite

Pinacoteca de São Bernardo do Campo está localizada na Rua Kara, 105 - Jardim do Mar - São Bernardo do Campo em São Paulo. Aqui acontece, do dia 15.09.2012 até 01.12.2012, o Projeto: TANTAS LETRAS! 2012 que tratará de literatura.

A Pinacoteca é o maior espaço de exposição permanente de arte moderna e contemporânea da região do ABC, com quatro espaços expositivos, auditório, biblioteca de arte e um jardim de esculturas.

Fonte:

Informações sobre o Projeto:


Saguão de entrada do prédio - Foto de Ivan Leite - 15.09.2012

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

O Caçador de Pipas

Livro que li e gostei...


"O Caçador de Pipas" de Khaled Rosseini conta a história de uma amizade entre Amir (fraco e medroso) e Hassan (alegre e corajoso). Ambientado no Afeganistão, o autor nos remete a cultura afegã e sua população.

Amir é filho de um homem rico e culto que curte produtos do ocidente e Hassan é filho do empregado da casa.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Tem tudo a ver

A poesia 
Tem tudo a ver 
Com tuas dores e alegrias,
Com as cores, as formas, os cheiros,
Os sabores e a música
Do mundo.

A poesia
Tem tudo a ver
Com o sorriso da criança,
O diálogo dos namorados,
As lágrimas diante da morte,
os olhos pedindo pão.

sábado, 5 de maio de 2012

Olimpíadas de Língua Portuguesa - Edição 2008

Olimpíadas de Língua Portuguesa: Escrevendo o Futuro - Edição 2008


A escola João Baptista Marigo Martins participará da Edição 2012 das Olimpíadas de Língua Portuguesa: Escrevendo o Futuro. Tentaremos repetir e avançar o resultado de 2008, ocasião em que a nossa escola foi classificada na etapa municipal, cidade de Santo André, nas categorias: Artigo de Opinião, Memórias e Poesia.  

Neste Post pretendo documentar com fotos, documentos e textos a nossa participação na categoria: Poesia - "Poetas da Escola - 2008"


1- Regulamento: 2008 - Link para consulta: 


2- Sequência Didática

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Fantasia da criança


"Pode-se fazer para uma criança uma boneca com um guardanapo dobrado: duas pontas serão os braços, as outras duas as pernas, um nó servirá para a cabeça na qual algumas manchas de tinta indicam os olhos, o nariz e a boca. Também se pode comprar uma “linda” boneca, com cabelos genuínos e bochechas pintadas, e dá-la à criança. Nem queremos insistir no aspecto horrível dessa boneca, perfeitamente capaz de estragar para sempre o sentido estético sadio. Com efeito, o problema educacional mais importante é outro. Tendo à frente o guardanapo dobrado, a criança deve acrescentar, pela fantasia, aquilo que o transforma em figura humana. Essa atividade da fantasia tem efeito plasmador sobre as formas do cérebro. Este se “abre” da mesma maneira como os músculos da mão se deixam permear por uma atividade conveniente. Se a criança ganha a chamada “linda boneca”, nada resta ao cérebro para fazer, e este se atrofia e resseca em vez de desabrochar. Se os pais pudessem olhar, como pode fazê-lo o pesquisador espiritual, para dentro do cérebro empenhado em estruturar suas próprias formas, com toda certeza só dariam a seus filhos brinquedos suscetíveis de avivar as forças plasmadoras do cérebro. Todos os brinquedos que possuem apenas formas mortas e matemáticas ressecam e destroem as forças plasmadoras da criança, enquanto tudo que faz surgir a ideia da vida atua de maneira sadia. A nossa época materialista produz poucos bons brinquedos."



Rudolf Steiner


Santo André - 26.04.2012 - 10h02min

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Dedos e Cérebro

O cérebro descobre o que os dedos exploram


A densidade de terminais nervosos na ponta dos dedos é enorme. A capacidade de discriminação deles é igual a dos nossos olhos. Se não usarmos os nossos dedos, na infância e na juventude nos tornamos “cegos dos dedos”, esta rica teia nervosa fica empobrecida o que, representa uma enorme perda para o cérebro e lesa o desenvolvimento do individuo como um todo. Essa perda pode não ser como a cegueira em si, pois talvez ela seja pior, porque enquanto o cego pode simplesmente não ser capaz de achar este ou aquele objeto, o “cego dos dedos” não consegue compreender o seu significado intrínseco e seu valor.

sábado, 7 de abril de 2012

Filosofias de Vida


A cada etapa da vida do homem corresponde uma certa Filosofia. A criança apresenta-se como um realista, já que está tão convicta da existência das peras e das maçãs como da sua. O adolescente, perturbado por paixões interiores, tem que dar maior atenção a si mesmo, tem que se experimentar antes de experimentar as coisas, e transforma-se portanto num idealista. O homem adulto, pelo contrário, tem todos os motivos para ser um céptico, já que é sempre útil pôr em dúvida os meios que se escolhem para atingir os objetivos. Dito de outro modo, o adulto tem toda a vantagem em manter a flexibilidade do entendimento, antes da ação e no decurso da ação, para não ter que se arrepender posteriormente dos erros de escolha. Quanto ao ancião, converter-se-á necessariamente ao misticismo, porque olha à sua volta e as mais das coisas lhe parecem depender apenas do acaso: o irracional triunfa, o racional fracassa, a felicidade e a infelicidade andam a par sem se perceber porquê. É assim e assim foi sempre, dirá ele, e esta última etapa da vida encontra a acalmia na contemplação do que existe, do que existiu e do que virá a existir. 

Johann Wolfgang von Goethe, in "Máximas e Reflexões"


quarta-feira, 7 de março de 2012

Dia inesquecível !!!


Texto escrito nos meus 21 anos de idade, onde se está presente meu idealismo e ética de professor... Que pude perceber muitos anos depois... Destino?

Eu lendo para os colegas de classe o texto que escrevi para o último dia de aula
do 3o. ano do Colegial - "Escola Amaral Wagner" - 30.11.1981
(Clique em cima da foto para ampliar)
 Hoje sem dúvida é um dia especial, dia de festa, de despedida, onde os nossos corações se juntam para que haja harmonia para brincarmos.

terça-feira, 6 de março de 2012

Uma Charge: Uma Leitura

Proposta do Curso: Currículo e Prática Docente - Língua Portuguesa e Literatura – 2011-2012 da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo:

Para desenvolver a capacidade de compreensão leitora do nosso aluno, é preciso que nós, professores, ofereçamos a ele exercícios adequados. Para tanto, faz-se necessário planejar atividades de leitura que favoreçam esse desenvolvimento.

Uma das habilidades exigidas do leitor proficiente é a inferência de informações implícitas em textos que façam uso de linguagem verbal e não verbal. Explicite as inferências que você professor/leitor pode fazer a partir da charge a seguir, de autoria de Leonardo, reproduzida do jornal Extra, publicado na página 18 do trabalho de Verônica Palmira.


Clique na imagem para aumentá-la

sexta-feira, 2 de março de 2012

Tecnologia da Informação e Comunicação - TICs


SOARES, Magda. Novas Práticas de Leitura e Escrita: Letramento na Cibercultura

Acesse o Link: http://www.scielo.br/pdf/es/v23n81/13935.pdf.  [10.02.2012]

                Resposta de Ivan Leite para o Curso: Currículo e prática docente da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo sobre o papel do professor na sociedade da informação do século XXI e o letramento digital dos alunos.

               
          O papel do professor na sociedade da informação do século XXI é estar atualizado com este mundo tecnológico que se modifica e se atualiza com uma rapidez estonteante. Esse mundo tecnológico, já é algo que alguns alunos trazem da convivência com suas famílias, pois a usam como forma de se comunicar, se informar e se divertir. Cabe ao professor o papel de estimulá-los sempre e orientá-los no sentido de que eles se movimentem nesse mundo

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Ler em si não é viver

“Ler em si não é viver. Ler é conseguir o devido combustível de idéias para viver em sociedade. E essa conquista passa necessariamente pela objetividade do ensino e pela qualidade da escola. Isso não é uma inferência, mas um fato real ou, no mínimo, uma previsão mais do que acertada.”

Ezequiel Theodoro da Silva

FONTE: Secretaria de Estado da Educação - Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas - Oficina Hora da Leitura 
(09 e 10/08/2006). - “Mãos Mágicas”1 – Sala Murilo Rubião

sábado, 31 de dezembro de 2011

Caminhos sentidos

Ivan Leite

Andar e procurar um caminho,
Ainda que doa,
Inspira-me a vontade de ir.

Duvido dos rumos, Reis, poderes e sanções,
Acredito nos caminhos que me levam...
Bastam que sejam abertos ao amor.

Sei que tantas correntes nos dividem
E bloqueiam os pensamentos felizes.

As coisas que estão expostas na vida,
Depende de mim conquistá-las – é só querer
E caminhos são tantos e tortos.
  

domingo, 4 de dezembro de 2011

Perguntas!

Eu lendo o texto "Perguntas!" no anfiteatro do Mainumby


* Texto escrito para o encerramento do Mainumby-III - 4o. semestre 2011

Ivan Leite

Desde que me entendo por gente, nunca fiquei satisfeito com as respostas das perguntas que me acompanharam e também aquelas que me acompanham sempre. Estou sempre perguntando o porquê das coisas.